Julho 3, 2020

Glúten – inimigo ou aliado

O glúten é uma proteína,  formada por duas proteínas mais pequenas chamadas  prolaminas e glutaminas,. Encontra-se junto ao amido, em cereais como o trigo, centeio, cevada, triticale e malte, é de digestão difícil podendo causar um mal estar, e por isso, há casos de pessoas que tiram o alimento de sua dieta e passam a sentir-se bem, no entanto, é preciso ter cuidado. Para quem não sofre da doença celíaca, cortar totalmente o glúten da alimentação pode predispor a doenças crónicas, como diabete ou doenças cardiovasculares. Além disso, se uma criança não consumir o alimento na infância, pode desenvolver alergia a ele.

O glúten possui diferentes finalidades na produção dos alimentos. No processo de fermentação do pão, por exemplo, o glúten contido na farinha de trigo é responsável pela permanência dos gases no interior da massa, fazendo com que o pão aumente de volume e não diminua depois de arrefecer. O problema em consumir alimentos que possuem glúten não está na proteína em si, mas sim nas outras características desses alimentos. As opções ricas em glúten são bastante energéticas. Como a energia é armazenada no corpo em forma de gordura, o consumo exagerado desses alimentos pode levar ao aumento de peso, obesidade e posteriormente ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares crónicas. Pessoas não celíacas também podem ter reações ao ingerir esses alimentos, mas relacionadas a outros distúrbios alimentares, muitos na verdade são alérgicos ao trigo, mas associam os sintomas da doença, como a urticária, à ingestão de glúten. A doença celíaca é uma desordem autoimune, uma condição crónica, que afeta principalmente o intestino delgado. É uma intolerância permanente ao glúten.

Existem alguns benefícios da redução no consumo de glúten:

✔  melhora a digestão, contribuindo para redução de sintomas de diarreia, refluxo e cólicas intestinais;

✔ perda de peso, pois a maioria dos alimentos fonte de carbohidratos são os maiores fornecedores de glúten;

✔ reduz inflamações causadas por doenças auto imunes, artrites e problemas intestinais;

✔ diminuição da sensação de fome e compulsão;

✔ diminui alterações de pH que provocam problemas na parte óssea, prevenindo o aparecimento da osteoporose

No entanto, é importante realçar que o corte brusco de glúten da alimentação de forma desnecessária pode trazer alguns dissabores, tais como o organismo desenvolver intolerância ao alimento por não o reconhecer querendo expulsá-lo, reagindo de forma alérgica. Pode levar ao aumento de peso, para colmatar a falta de alimentos ricos nessa proteína, o organismo sente mais fome e acaba por se confortar em comidas, por vezes mais calóricas. Os produtos gluten free são por norma, alimentos mais caros, uma vez que são elaborados com ingredientes alternativos e produzidos em menor escala. Desta forma pode levar a mais gastos com alimentação, por vezes desnecessariamente.

Antes de tomar alguma decisão de forma precipitada procure a opinião de um especialista e analise o seu caso em particular.

Subscribe to the newsletter

Fames amet, amet elit nulla tellus, arcu.

Leave A Comment